quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A lógica por trás da teoria do Fim do Mundo Parte II

A lógica por trás da teoria do Fim do Mundo Parte II
Por Umaia Ismail
18/12/2012


As Ondas Schumann foram detectadas pela primeira pelo sérvio-americano Nikola Tesla, e calculadas matematicamente pelo físico alemão Winfried Otto Schumann em 1952, que a batizou com seu nome.
Segundo a teoria criada por Schumann, o nosso planeta está sujeito a um campo eletromagnético de baixa frequência, que possui uma ressonância mais ou menos constante de 7.8Hz. 


Coincidentemente, a frequência média do cérebro de todos os vertebrados também é de 7.8Hz, com algumas oscilações.
Devido a isso, chegou-se a conclusão de que 7.8Hz é a frequência de equilíbrio do planeta e também de todos os seres humanos. Acontece que algo completamente anormal vem ocorrendo nos últimos anos: A média da freqüência Schumann da Terra subiu incompreensivelmente, e encontra em torno de 12Hz. 


Sabe-se que quanto mais a frequência dessas ondas sobe, menos intenso se torna o magnetismo da Terra, ou vice-versa.
O professor Banerjee, da Universidade do Novo México (EUA), concluiu que o campo magnético da Terra reduziu sua intensidade à metade, nos últimos 4 mil anos. Ou seja, as alterações magnéticas, e também das ondas Schumann ocorridas nos 30 últimos anos, superam as de mais de 3.900 anos.
Sabe-se também, que essa diminuição do magnetismo sempre precede as inversões dos pólos magnéticos.
Até aí tudo bem, mas o que isso significa para a vida humana sobre a Terra. Que tipo de sensações podem ser provocadas por essas alterações, ou será que nada muda.


Alguns céticos dizem que não há comprovação dessas mudanças, mas experimentos científicos realizados com pessoas que foram submetidas artificialmente a um nível mais elevado de freqüências Schumann, e consequentemente magnetismo menos intenso tiveram resultados incontestáveis de que sim, isso afeta a vida de praticamente todo o ser humano a nível cerebral, e em outros níveis também. E é sobre isso que vou falar quando voltar do almoço de aniversário da minha filha Ananda, que até agora não quis comemoração mais ampla.
Abraço a todos e desculpe a demora em explicar, mas estou tratando de reduzir ao máximo um assunto muito extenso que precisa ser melhor compreendido por todos. Tudo isso que está sendo dito aqui tem a ver com a famosa teoria de FIM DE MUNDO, tão falada.


Até mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário